1º de outubro – Dia do Saquê

“Hoje é dia de Cultura Japonesa!” – Capítulo 54

O consumo de bebidas alcoólicas é proibido para menores de 18 anos no Brasil e para menores de 20 anos no Japão (lei japonesa de 30 de março de 1922). Por outro lado, o saquê é algo indissociável com a cultura japonesa, ligado não apenas à gastronomia, mas também a festividades, crenças, artes, música, mitologias e sobre viver em harmonia com a natureza. Assim, entendemos que é um assunto que vale ser apresentado. Entretanto, focaremos aqui mais nos aspectos culturais do que no gastronômico.

O dia 1º de outubro é o Dia do “Nihonshu”, literalmente “saquê japonês”. A data foi estabelecida pela Japan Sake and Shochu Makers Association em 1978, visto que os japoneses jovens têm consumido menos saquê e algo deveria ser feito para reverter esta situação.

A escolha da data tem diversas explicações. O ciclo de produção do saquê se inicia em outubro. O ideograma saquê é . Nesta letra, podemos encontrar o ideograma que, além de significar um recipiente de saquê, significa “galo”, o décimo animal do zodíaco chinês, portanto o décimo mês do ano. Além disso, o “ano do saquê” (酒造年度, equivalente a Brewery Year) se iniciava em 1º de outubro, na época (atualmente mudou para 1º de julho).

O termo “sake”, em japonês pode ser utilizado no sentido amplo ou no estrito. No sentido amplo, refere-se a qualquer tipo de bebida alcoólica, como o shochū, o saquê de cozinha para tempero, cerveja, vinho, uísque, etc. No sentido estrito, refere-se à bebida alcoólica fermentada, feito à base de arroz, água e o kōji (malte).

Até o fim do Período Edo, a palavra “sake” era usada basicamente para a bebida de arroz. Com a Restauração de Meiji em 1868, as bebidas ocidentais foram sendo introduzidas gradualmente no Japão. Assim, o termo “nihonshu” (saquê japonês) passou a ser adotado na Era Meiji, para diferenciar o saquê dos “yōshu” (洋酒), as bebidas ocidentais, como a cerveja, o vinho e o uísque.

Os japoneses consomem o saquê em diversas oportunidades especiais ao longo do ano. No ano novo, bebe-se o “toso” (屠蘇), feito com a mistura de saquê com ervas medicinais, para espantar os maus espíritos e desejar vida longa, com saúde. Os membros da família bebem o toso na ordem crescente de idade. Mas os menores de idade apenas fazem o gesto, sem beber de fato.

No dia 3 de março, acontece o Hinamatsuri, popularmente conhecido como Dia das Meninas. Nesta ocasião, o saquê consumido é o shirozake e o amazake. Apesar de ser uma festividade para crianças, o shirozake é para o consumo dos adultos. As crianças bebem uma versão sem álcool do amazake, que literalmente significa saquê doce.

O saquê consumido durante a contemplação das flores em março chama-se hanamizake. Ao contemplar a lua em outubro, chama-se tsukimizake. Contemplando a neve, no inverno, temos o yukimizake. Há muitos outros nomes dados ao ato de beber saquê, celebrando alguma divindade, fenômeno da natureza ou acontecimento.

No nosso artigo do Dia do Pente, de 4 de setembro, escrevemos sobre um trecho do Kojiki, o primeiro livro de história do Japão, onde Susanoo derrota Yamata-no-orochi, um monstro de oito cabeças. A estratégia que Susanoo usou foi preparar oito tinas com saquê e ficar escondido. Quando Orochi chegou, cada uma de suas cabeças começou a beber o saquê e, no final, o monstro adormeceu. E Susanoo cortou os pescoços do adversário indefeso. Como diria Sun Tsu, venceu sem lutar de fato, com uma boa estratégia.

Para os apreciadores de teatro nô, sugerimos a peça “Shōjō” (leia-se xoudiou), que celebra a eterna felicidade e prosperidade, com uma fonte inesgotável de saquê. Deixamos o link da sinopse em inglês, do site The Noh.

Como sugestões de mangá para conhecer melhor o universo do saquê, indicamos “Natsuko no Sake”, que é uma das obras preferidas de Alexandre Iida, que possui o título de Sake Samurai, concedido pela The Japan Sake Brewers Association Júnior Council. Já a Sake Sommelière Andrea Machado recomenda “Moyashimon”. Ambos possuem versão dorama e Moyashimon ainda tem uma versão anime.

Como dica de turismo, indicamos fortemente a visita a alguma sakagura (produtora de saquê) para conhecer não apenas o processo de produção da bebida, mas também a história da região e a relação do saquê com a cultura local. As visitas costumam terminar com degustação, com possibilidade de comparar os diversos tipos de saquê. Estas visitas existem em diversos locais do Japão.

Por fim, para os adultos que forem beber saquê, não se esqueçam do “Yawaragi Mizu” (和らぎ水), ou “água para suavizar”, em tradução literal. É o ato de beber água durante a apreciação do saquê. O saquê possui alto teor alcoólico, então é muito importante beber uma quantidade proporcional de água para evitar ou reduzir a ressaca.

 


 

Vejam também nossos artigos anteriores:

1º de agosto – Dia da Água (Capítulo 13)

18 de agosto – Dia do Arroz (Capítulo 26)

4 de setembro – Dia do Pente (Capítulo 37)

Livraria Virtual

ACBJ - Aliança Cultural Brasil-Japão

Aliança Cultural Brasil-Japão
Unidade Vergueiro
Cursos de língua japonesa, português para japoneses e artes orientais.
R. Vergueiro, 727 - 4º andar
Liberdade - 01504-001
São Paulo - Tel.: (11) 3209-6630
Centro Cultural Aliança
Unidade Pinheiros
Cursos de língua japonesa, português para japoneses e artes orientais.
R. Dep. Lacerda Franco, 328
Pinheiros - 05418-001
São Paulo - Tel.: (11) 3031-5550



© Aliança Cultural Brasil Japão
Todos os direitos reservados
by hkl interactive media