8 de setembro – Naomi Osaka

“Que dia é hoje?” – Capítulo 39

No dia 8 de setembro de 2018, a tenista japonesa Naomi Osaka venceu a americana Serena Williams na final do US Open tornando-se a primeira japonesa (tanto no feminino como no masculino) a conquistar um dos quatro torneios que compõem o Grand Slam. Estes são os quatro torneios anuais mais importantes do tênis: Australian Open (Austrália), Roland Garros (França), Wimbledom (Reino Unido) e US Open (Estados Unidos).

Em 2019, Osaka voltou a conquistar um destes, desta vez o Australian Open, tornando-se a primeira asiática a chegar ao número 1 do ranking da WTA (Women’s Tennis Association).

O melhor desempenho japonês no masculino foi de Kei Nishikori, quando ele foi vice-campeão no US Open de 2014, sendo derrotado na final pelo croata Marin Cilic.

Osaka nasceu na província de Osaka em 16 de outubro de 1997, filha de pai haitiano e mãe japonesa. Tinha dupla nacionalidade, japonesa e americana até 2019. Mas aos 22 anos, optou pela nacionalidade japonesa, além de optar em defender o Japão dentro de seu esporte.

A tenista checa Barbora Strycová apelidou Osaka de “shinkansen” (trem bala japonês). No dia em que Osaka venceu a semifinal do US Open (que viria a conquistar a seguir), Shuzo Matsuoka, ex-tenista e comentarista esportivo, atualizou seu blog com o subtítulo “Naomi Express chega à final”. E seguiu elogiando que ela é “veloz, forte, e passa segurança”, tal qual o trem, que é o orgulho dos japoneses.

No Japão, existe o termo Omoiyari (おもいやり), que é traduzido para o português como “ter bondade”, “ser atencioso”, “pensar nos outros”, ou “ter empatia”. Esta, com certeza, é uma grande característica de Osaka, que pode ser vista em, pelo menos, dois momentos: na final do US Open de 2018, quando consolou a super campeã Serena Williams, que havia se desentendido com a arbitragem; e, já nas oitavas de final do ano seguinte, derrotou Cori Gauff, jovem sensação americana de 15 anos, e, na hora de dar a entrevista como vencedora da partida, Osaka convidou a jovem para participar da entrevista junto com ela. A japonesa não conteve as lágrimas enquanto elogiava sua adversária durante a entrevista.

No contexto de pandemia, os tenistas profissionais participaram de um torneio virtual beneficente de tênis. O “Stay at Home Slam” foi realizado utilizando o jogo “Mario Tennis Aces”, da Nintendo. 8 tenistas profissionais formaram duplas com celebridades. Osaka formou dupla com a modelo Hailey Baldwin, esposa de Justin Bieber. Acabou derrotada pela dupla de seu compatriota Kei Nishikori com o produtor musical e DJ Steve Aoki. A dupla vencedora foi formada pelo tenista Taylor Fritz e a dançarina e influencer de Tik Tok Addison Rae.

No retorno às quadras após a parada devido ao COVID-19, Osaka chegou às semifinais do torneio West & Southern Open (Cincinnati), porém, anunciou que não jogaria a partida, em protesto ao tiroteio envolvendo Jacob Blake, em Wisconsin, mais um caso de violência policial sobre afro-americanos. O jogo foi adiado e ela participou da semifinal.

Osaka diz apreciar anime e mangá, inclusive estaria utilizando estes recursos para estudar a língua japonesa.

Numa entrevista após uma partida do US Open de 2016, ela respondeu “I want to be the very best that no one ever was” (Quero ser a melhor como nunca ninguém foi), que é o trecho inicial da música de abertura da versão americana do anime Pokémon e foi traduzido na versão brasileira como: “Esse meu jeito de viver, ninguém nunca foi igual”.

Em 2017, Naomi postou no Instagram que tentou jogar vôlei, inspirada pelo mangá Haikyū!!, mas que não deu muito certo.

Atualmente muitos atletas japoneses com raízes em outras etnias estão se destacando no cenário esportivo. Vale ficar de olho em nomes como Rui Hachimura (jogador de basquete da NBA, seu pai é de Benim), Abdul Hakim Sani Brown (atletismo, seu pai é de Gana), Asuka Cambridge (atletismo, medalhista de prata em Rio-2016; seu pai é jamaicano), entre muitos outros.

Neste exato momento, Osaka disputa o US Open de 2020, em busca do segundo título. Estamos na torcida.

Veja também nossos artigos anteriores:

17 de julho – Nadeshiko Japan (Capítulo 3)

11 de agosto – Ganbare (Capítulo 21)

14 de agosto – Happy Summer Valentine (Capítulo 24)

Livraria Virtual

ACBJ - Aliança Cultural Brasil-Japão

Aliança Cultural Brasil-Japão
Unidade Vergueiro
Cursos de língua japonesa, português para japoneses e artes orientais.
R. Vergueiro, 727 - 4º andar
Liberdade - 01504-001
São Paulo - Tel.: (11) 3209-6630
Centro Cultural Aliança
Unidade Pinheiros
Cursos de língua japonesa, português para japoneses e artes orientais.
R. Dep. Lacerda Franco, 328
Pinheiros - 05418-001
São Paulo - Tel.: (11) 3031-5550



© Aliança Cultural Brasil Japão
Todos os direitos reservados
by hkl interactive media